Pra ouvir na estrada

Quem não gosta de viajar ouvindo aquela playlist cheia de músicas que te fazem olhar pela janela do carro, ver a paisagem e pensar na vida? ou não pensar em nada..?

A gente ama e não sai de casa sem música! Como já disse lá na Playlist Pra ouvir em um final de semana chuvoso, amo fazer playlists pra momentos específicos e essa playlist fiz especialmente pra nossa última viagem pra Urubici, pra ver as montanhas e acampar.

Dei uma atualizada nela esses dias e percebi que ainda não tinha postado aqui! Pra ouvir a nossa playlist, basta clicar aqui, nos procurar lá no Spotify pelo nome da FamiliaAventureira ou procurar aqui no ladinho entre as nossas redes sociais.

Dá e o play e bora cair na estrada?

 

5 dicas de programas pra fazer com as crianças!

Essa semana a Helena entrou de férias e eu já fui logo bolar uma listinha de coisas que poderia fazer com ela durante esses dias, já que nem eu e nem o Henrique estamos de férias e não vamos poder viajar. Pensando nisso, resolvi compartilhar com vocês uma listinha com 5 programas que a gente ama fazer e que são perfeitos pra fazer com as crianças nas férias!

1- PIQUENIQUE
Esse não poderia faltar na nossa lista, a gente ama um piquenique, vocês sabem! Esse hábito a gente já tinha antes da Helena nascer, mas aumentou muito devido as alergias alimentares dela, que nos impossibilitavam de comer em restaurantes. Aí piqueniques viraram nosso maior aliado pra sair da mesmice das marmitas, tão comuns na vida de pessoas alérgicas. É algo tão simples e que as crianças gostam tanto! Basta preparar as comidinhas e bebidas favoritas de vocês, colocar tudo em um cooler ou bolsa térmica, pegar uma toalha ou canga de praia, pedir pras crianças levarem alguns uns brinquedos e escolher um lugar legal. Essa é a maior vantagem de um piquenique, a vista! Por aqui, nossos piqueniques geralmente são na praia mas pode ser em um parque, um lago.. onde você quiser! E se estiver frio e chovendo? Aí é só achar um lugar com uma vista legal que dê pra parar o carro, abrir o porta malas, descer os bancos e fazer o piquenique dentro do carro! Basta usar a criatividade. Lá no ig até já mostrei uns piqueniques que fizemos no porta malas minúsculo do nosso carro e que a Helena amou! Estendemos o nosso tapete, colocamos umas almofadas, a Helena levou uns livros.. nós levamos café com bolo e algumas frutas, paramos o carro de frente pro mar e fizemos um picnic numa tarde de domingo fria e chuvosa aqui em floripa. Fácil e simples né?

7516842416_IMG_4274

picnic no carro

2- ACAMPAR
Acho que não tem uma criança no mundo que não queira acampar! Montar uma barraca, fazer uma fogueira.. contar histórias. É realmente uma experiência única e que as crianças não esquecem! Aí entram os poréns da vida adulta: não gosto de ir pro mato, não gosto de dormir ao ar livre, não tem lugar pra acampar onde moro e a lista se estende.. então vamos as soluções? Você não precisa acampar longe da civilização! Quase todas as cidades possuem camping e os campings fornecem tudo que você não se imagina sem: energia elétrica, tomadas, wifi, chuveiro quente, cozinha e por aí vai. Ainda sim não rola pra você? Então façam um acampamento no quintal de casa! Montem uma barraca, façam uma fogueirinha.. coloquem cadeiras em volta e pronto! Assim você pode fazer algo especial com seus filhos mas sem perder o conforto da casa.

7583945440_IMG_3075

IMG_1804

 

3- FESTA DO PIJAMA
A opção acima não rola pra você porque está chovendo, frio ou apenas não tem barraca? Faça o bom e velho forte no meio da sala! Quem nunca fez uma cabana de lençol e travesseiros no meio da sala não sabe o que é ser criança, não é? Afastem os móveis da sala, busquem o colchão de casal e todos os travesseiros e almofadas que encontrarem pela casa. Façam uma cabana com lençóis, preparem um chocolate quente e escolham um filme pra assistir juntos. Coloquem o pijama e façam uma festa do pijama.  Quer algo mais acessível e legal que isso? Pra quem mora em cidades frias e chuvosas como Floripa, essa opção é salvação! Fazemos sempre que está chovendo muito e temos preguiça de sair e é um sucesso.

7583910240_IMG_1579

 

4- CLUBE DO LIVRO
Temos o hábito de ler com a Helena desde que ela nasceu. Lemos todo dia! A medida que ela foi crescendo e aprendendo a falar e compreender as histórias, começamos a levar ela junto nas livrarias pra que ela escolhesse os próprios livros. Isso foi fundamental pra que ela permanecesse interessada na leitura, algo que as crianças vão perdendo o interesse a medida que crescem e descobrem o mundo dos desenhos e programas de televisão. Comprem um livro juntos e façam um clube do livro. Leiam juntos, conversem sobre a história, o que gostaram mais.. inventem finais alternativos, façam um projeto com base no livro. Na escola da Helena, foi feito um projeto literário em cima do livro do Pinóquio. Paralelo a leitura, foi feito atividades de pintura, fantoche, artes com palitos de madeira, foi ensinado palavras chaves da história em inglês… tudo relacionado ao livro. Resultado: a Helena ficou 1 mês inteiro “lendo” o livro, aprendeu palavras novas em inglês e português. Aprendeu sobre verdade x mentira, sobre marcenaria.. tantas coisas! Hoje, mesmo sem saber ler, ela abre o livro e conta a história inteira página por página, acrescentando detalhes da imaginação dela. Além de ser algo interessante pra fazer nas férias, o clube do livro é um hábito maravilhoso pra fazer em família e ensinar aos pequenos desde cedo a importância de ler.

IMG_6694


5- OBSERVEM A LUA E AS ESTRELAS

Esse eu deixei por último por uma razão especial. Eu e o Henrique adoramos ciência, astronomia e um pouco do astrologia também. Adoramos eventos astronômicos e observar os fenômenos juntos.. ir ao planetário.. Obviamente passamos essa paixão pra Helena e ela é obcecada pela galáxia, pelos planetas e tudo mais que esteja no céu.. ela ama saber curiosidades sobre esse assunto e tem várias na ponta da língua que adora contar para os outros rssss Dito isso, sempre que tem um evento pra visualizar algum fenômeno, a gente procura ir! Além de ser algo que desperta o imaginário das crianças, é extremamente educativo! E infelizmente, o campo da ciência tem despertado cada vez menos interesse nas novas gerações.. assim como as escolas tem investido cada vez menos nisso. Então que tal levar seus filhos pra fazer uma visita ao planetário? Que tal esperar uma noite de céu limpo e estrelado e procurar estrelas com as crianças, aprender o nome delas? E melhor ainda, que tal ver quando vai rolar algum evento e se programar pra assistir com a família?! Muitas cidades realizam eventos gratuitos pra visualizar esses fenômenos e contam com físicos pra explicar e tirar dúvidas, além de vários telescópios a disposição. A primeira vez que a Helena viu a lua através de um telescópio, foi muito marcante e ela lembra até hoje.

e como eu disse, deixei esse por último porque justamente HOJE, será visível a olho nu uma série de fenômenos. São dois fenômenos astronômicos: um eclipse total da Lua, o mais longo do século! E que também é conhecido como “Lua de Sangue” já que a lua adquire uma coloração avermelhada e “Marte em Oposição”, que deixa o planeta vermelho alinhado com a terra e com o sol. Fazendo com que a terra fique exatemente entre o sol e marte. Então basta olhar pro lado oposto do sol e você verá toda a superfície de marte que está virada pra terra, super brilhante. Incrível né?

lua-de-sangua-nasa
Lua de Sangue – NASA

 

2018-01-31-zm-mozaika-cc
Fases da Lua de Sangue

Esse evento acontecerá a tarde toda mas estará visível somente durante o pôr do sol! Pra quem mora em Florianópolis, ele estará mais visível no horizonte LESTE. Com melhor visualização nas praias do Campeche e da Joaquina. E pra quem quiser ver este fenômeno com um telescópio, a UFSC e o IFSC estarão realizando um evento no Mirante da Lagoa!

Se você não mora em Floripa, basta procurar no google e ver qual é o melhor local pra visualizar a lua de sangue na sua cidade, chamar as crianças e fazer um programa ÚNICO e super especial nessas férias.


Cris

Roteiro de 1 dia em Rancho Queimado

Quem nos acompanha lá no @familiaaventureira sabe que de vez em quando estamos em Rancho Queimado. Essa cidadezinha fica a 60km de Florianópolis (onde moramos) e apesar de ser super pertinho do litoral, ela tem cara, clima e gostinho de interior! Na nossa opinião, é uma das cidades mais lindas de toda Santa Catarina e nessa época do ano, as paisagens são de cinema. Não foi a toa que escolhemos nos casar lá! Por ser tão pertinho da capital, é o lugar perfeito pra passar o dia a dois ou com a família, aproveitar as paisagens e a gastronomia maravilhosa dessa cidade.

Pensando nisso, fizemos nosso roteiro de 1 dia por Rancho Queimado!

IMG_6341

Pra começar, recomendo ir pela manhã pra poder aproveitar o dia todo e também porque pelo fato de ser uma cidade pequena, os estabelecimentos costumam fechar cedo. Feito isso, vamos lá?

Chegando em Rancho Queimado, você vai passar pelo portal da cidade e logo em seguida já vai ver a fábrica da Pureza, que eu sei que não é bem um ponto turístico mas sim um patrimônio histórico do melhor refrigerante do mundo, não é mesmo? Rsss Quem nunca provou não sabe o que está perdendo e recomendo fazer uma parada.

IMG_1130

Continuando, um pouco mais pra frente, a esquerda, numa entrada discreta com uma plaquinha bem pequena escrito “Doce Rancho”, está um casarão antigo que é ponto de venda de chocolates artesanais. Os chocolates são deliciosos e o lugar é lindo! Vale a pena fazer uma parada, conhecer o lugar e comprar uns chocolates pra volta.

TWWV4940

BSSN6587

Seguindo adiante, passando por Taquaras, a próxima parada é a Casa de Campo do Governador Hercílio Luz, uma propriedade centenária que hoje está aberta a visitação e é o ponto turístico mais conhecido da cidade. A casa é utilizada como museu e abriga objetos pessoais e históricos do governador Hercílio Luz e de imigrantes alemães. Na parte externa, um jardim florido com direito a mesa de piquenique, bancos e uma vista linda pras montanhas. E como é época de pinhão, o chão fica praticamente marrom, coberto pelo pinhão que cai dos pinheiros espalhados pelo lugar.

EIYC4298

Ao lado da casa do governador, está uma casinha verde que é super conhecida por vender produtos coloniais como geléias, queijos etc.

Continuando na estrada principal, passamos pelo Galpão Tropeiro, um restaurante de gastronomia típica e resolvemos parar lá pro almoço. O nome já diz tudo. O restaurante é um grande galpão e a comida, típica tropeira, é feita em fogão a lenha! Uma delícia! Em especial, o entreveiro e a farofa de pinhão. Vale a pena ir até lá só pra almoçar nesse lugar, sério! Digo isso porque ele está sempre lotado e na maioria das vezes, por pessoas de cidades próximas.

Importante dizer que lá não aceita cartão e é preciso levar dinheiro! Isso vale pra maioria dos lugares em Rancho Queimado,  já que lá é praticamente impossível conseguir um sinal de internet e os poucos lugares que aceitam cartão as vezes encontram dificuldade.

Pra alegria da Helena, ganhamos algumas tangerinas recém colhidas do proprietário do lugar e seguimos o nosso passeio. Fomos pro lado oposto seguindo até o Mirante do Morro do Alto da Boa Vista. Um dos lugares mais lindos do Brasil e que foi cenário do nosso casamento em maio deste ano.  A mais de 1240m de altitude, é um campo imenso e completamente deserto que te dá uma vista de tirar o fôlego. São vários mirantes, é só seguir a entradinha de terra principal e pegar as estradas laterais pro mirante que você quiser. Devido a altitude, o vento é fortíssimo, além de ser muito frio. Inclusive no inverno, tem chance de neve! Mas a vista compensa! Então leve uma mantinha e aproveite pra ver o pôr do sol caso não esteja tudo coberto pela neblina.

5DM38117
Nosso casamento no Morro da Boa Vista

5DM38280

IMG_5209[1]

IMG_0273

Hora de descer, passamos pela Cascata Trisãmya, que é uma cascatinha pequena localizada praticamente na beira da estrada. Se você procurar no google, tem muitas fotos lindas dela.. mas já faz um tempo que o local parece abandonado e sem um local específico pra parar e conhecer. Então seguimos adiante e fomos tomar um café.

IMG_0375

Vou citar aqui dois cafés que nós gostamos e que conhecemos em ocasiões diferentes. O primeiro, é o KaffeeHaus, um café colonial típico alemão, localizado bem no centro de Rancho Queimado. O Café é servido direto na mesa e eles são extremamente atenciosos! Falamos das alergias alimentares da Helena e trouxeram pra nossa mesa várias opções sem leite pra que ela pudesse comer.

IMG_1172
KaffeeHaus

Na última vez que fomos lá, resolvemos conhecer o Kaufer Café com Morango, que fica na mesma estrada geral da Casa do Governador e do Galpão Tropeiro. Rancho Queimado é conhecida como a cidade do Morango e nesse café, não faltam opções com essa fruta. Também rola café colonial ou você pode se servir e pesar. Provamos muitas delícias e nossas preferidas, foram a cuca de frutas vermelhas e o famoso chá de morango que servem lá. O local é uma graça, tem vista pras montanhas e uma lareira bem gostosa que é acesa nos dias mais frios. Os dois lugares aceitam cartão.

IMG_6380.JPG
Chá de morango no Kaufer Café com Morango

Quando escurece, a cidade é tomada por uma neblina intensa e você dirige sem enxergar quase nada na frente. Então assim que vimos a neblina começar a baixar, resolvemos encerrar nosso café e voltar pra casa.

IMG_0391

E assim termina um dia maravilhoso em meio a estradas e paisagens saídas de um filme do nosso roteiro por Rancho Queimado! Espero que vocês gostem e quando forem pra lá, não esqueçam de usar a hastag #roteirofamiliaaventureira lá no instagram!


Cris

5 dicas para viajar de carro com crianças!

A gente ama viajar de carro e lá no @familiaaventureira sempre recebo mensagens me pedindo dicas pra viajar de carro com crianças de forma tranquila. Em geral, o grande problema é a impaciência dos pequenos aos passar longas horas no banco de trás, preso na cadeirinha. Acho que não tem uma fórmula de sucesso pra isso e cada criança se comporta de forma diferente. Até a Helena que tá super acostumada em passar horas no carro, acaba se incomodando de vez em quando e nos fazendo ter vontade de parar no meio de estrada e sumir hahahaha

princesa
Dormindo assim, parece um anjo né?

Mas tem sim algumas coisas que tornam as viagens mais fáceis e que nos salvam do terrível: “Falta muito pra chegar?”

Vamos lá?

1- Cadeirinha/bebê conforto: Acho que preciso dizer que em primeiro lugar seus filhos PRECISAM estar em uma cadeirinha ou bebê conforto adequado a idade e peso né? Não é frescura, não é bobagem e não me venham com papo de “ah mas na minha época eu viajava com mais 4 primos no banco de trás”. Eu também! Mas a tecnologia está aí pra oferecer mais segurança e assim como os carros mudaram, as cadeirinhas surgiram e salvam vidas! Se você anda de cinto de segurança porque  vai deixar seu filho solto? Claro que quando a gente pensa em viagem, pensamos em tudo menos um acidente de carro.. mas acontece! As estradas são perigosas, algumas pessoas são imprudentes e todo cuidado é pouco. Nós já vimos alguns acidentes acontecendo na nossa frente e foi preciso frear bruscamente pra não rolar um engavetamento. Se a Helena não estivesse na cadeirinha, com toda certeza teria sido projetada pra frente e teria se machucado. Como Socorrista, já ouvi colegas contando ocorrências terríveis de crianças projetadas pra fora do carro porque os pais não tinham cadeirinha ou haviam retirado a criança da cadeirinha porque ela estava irritada.. ou até mesmo pra amamentar.  Vale ressaltar que quase 70% dos acidentes envolvendo crianças fora da cadeirinha/bebê conforto acontecem num raio de 1km de casa. Ou seja, CADEIRINHA SEMPRE!

Dito isso, optamos por uma cadeirinha com inclinação pra que ela pudesse dormir mais confortável e honestamente, se ela existe.. eu nunca vi! Porque a Helena tá sempre dormindo caída pra frente.. mas de qualquer forma, eu adoro essa cadeirinha porque ela tem protetores laterais que são super importantes pra proteger a cabeça da criança. O modelo da nossa é Evolve da marca Cosco. Travesseirinho pra pescoço também ajuda bastante pra sustentar o pescoço nos momentos em que a criança está dormindo em sono profundo.

Cadeira-Para-Automovel-Cosco-Evolve-9-a-36-Kg-Preto-Cromo-3755374
Cadeirinha Evolve Cosco que a Helena usa e amamos!


2- Brinquedos:

Bebê na cadeirinha e agora como fazer pra ele ficar lá? Brinquedos!
Antes da viagem faça uma bolsa com os brinquedos favoritos ou peça pra ele fazer, caso já tenha idade. Por aqui, antes de toda viagem a Helena faz uma bolsa com brinquedos e livros que ela sabe que são pra brincar e ler no caminho. Não temos tablet, Ipad etc Então não usamos recusos tecnológicos.. e aí está na hora de entrar o tal “na minha época eu não tinha isso”. Viajei muito com meus pais, ficavamos as vezes até 14h na estrada em um único dia, era cansativo e entediante em alguns momentos mas nos distraíamos com brincadeiras simples, como jogos de palavras, placas de carro e muita, muita conversa! Já existe também mesinhas portáteis exatamente pra por no carro e as crianças poderam brincar, pintar etc

3- Comidinhas:
Tá aí uma distração que sempre dá certo por aqui. Sempre levo uma bolsa térmica no carro com água e alguns snakcs que a gente gosta. Bolachinhas e frutas sempre funcionam e também reduzem o número de paradas pra comer pelo caminho.

4- Pare sempre que preciso!
Em viagens mais longas sempre é bom parar uns minutinhos, tirar o bebê da cadeirinha, tomar uma água, comer.. ir ao banheiro. Como a Helena já desfraldou, nós levamos um penico no porta malas e paramos sempre que ela pede pra fazer xixi. Aproveitamos pra esticar as pernas, descansar um pouco e tomar um café. Apesar dessas paradas serem curtinhas, elas fazem a diferença e deixam a Helena beeeem mais tranquila pra continuar.

5- Seja flexível:
Por aqui nós temos dois tipos de situação: as negociáveis e as não negociáveis. Sair da cadeirinha: não negociável. Alimentação e recursos tecnológicos: negociáveis. Viagens e passeios em família são pra você se distrair, se divertir, recarregar as energias.. e não pra estar se estressando né? Então nós temos um acordo bem claro entre as partes envolvidas, que durante viagens algumas coisas podem ser flexíveis com diálogo. A Helena não come besteira.. mas permitimos uma bolachinha recheada e chocolates quando estamos na estrada e depois que todas as alternativas de entretenimento tenham se esgotado, deixamos ela assistir um desenho no nosso celular. Afinal, não somos de ferro e se até a gente cansa de ficar sentado em um banco por horas, imagina eles?

Nossos filhos são nossos maiores parceiros, nosso melhores amigos. Seus sentimentos não são menores que o nosso só porque são crianças.. e por serem crianças, eles conhecem apenas poucas formas de se expressar. Viajar com filhos pode ser mais difícil mas é igualmente compensador, se não mais. Como disse, não há um feitiço de bom comportamento. Cada criança é única e tem sua personalidade e seus gostos! O importante é entender e aceitar ela do jeito que ela é. Respeitar seus limites e seus sentimentos.

Então insira seu filho nas suas viagens, converse com ele durante o caminho, façam brincadeiras e se preciso, seja flexível! Quebre suas regras e seja feliz. As partes chatas e desafiadoras de viajar com os filhos pequenos passam e ficam as lembranças boas.

Prontos pra pegar a estrada?

IMG_5273


Cris Schneider

Roteiro de 1 dia na Serra Catarinense: Bom Jardim da Serra + Urubici

Nós adoramos subir a serra independente da época do ano, mas no inverno é muito mais especial! O frio, as paisagens bucólicas cobertas pela neblina, aquelas delícias gastronômicas que você só encontra por lá… é o programa perfeito pra um final de semana! Seja a dois, seja em família ou com os amigos.

No final de semana resolvemos fazer um passeio bate-volta pela região e algumas pessoas me pediram lá no @familiaaventureira pra dar mais informações, dicas de pontos turísticos e montar um roteiro pra essa pequena roadtrip.

Claro que existe muito mais na serra catarinense do que Bom Jardim da Serra e Urubici, mas vou falar desses dois lugares porque foram o que nós visitamos dessa vez e também porque de longe, são os nossos lugares preferidos daqui de Santa Catarina.

IMG_5269
Estrada em Grão Pará

Pra poder aproveitar ao máximo esse passeio, a primeira coisa que você tem que saber é a distância da sua cidade até lá e quantas horas você irá passar na estrada. Nós moramos em Floripa, a 229km de Bom jardim, o que dá mais ou menos 3h de viagem. Se você tem filhos pequenos e segue religiosamente a velocidade permitida, pode acrescentar mais uns 40 minutos no seu trajeto. Fora que as paisagens que você encontra pelo caminho são tão lindas, que vale a pena ir sem pressa pra curtir cada momento. Feito isso, saia de casa antes mesmo do sol nascer pra ter de fato um dia inteiro pra aproveitar.

Nosso plano era sair de casa umas 6h mas como somos uma familía suuuper agilizada e organizada, saímos de Floripa as 7h da manhã após apertar o botão de soneca pelo menos umas 5x. Fez um dia de sol lindo e a estrada estava super tranquila. Pegamos a BR 101 sentido sul, saindo em tubarão e fomos em direção a Serra do Rio do Rastro. Já tínhamos descido a Serra do rio do Rastro em uma das nossas idas pra Urubici mas dessa vez, resolvemos fazer o caminho inverso. Pra quem ainda não conheçe, recomendo MUITO que visitem! E não só o mirante, que dá a vista panorâmica do lugar, recomendo que peguem essa estrada mesmo! É surreal andar por cada curva extremamente acentuada, quase sem visibilidade a frente e completamente envolta pela natureza. Algumas curvas possuem recuo com mirantes em que você pode parar o carro e ver um pouquinho mais de perto esse lugar de tirar o fôlego. A Serra inteira possui mais ou menos 250 curvas e em 2012 foi eleita uma das estradas mais espetaculares e desafiadoras do mundo. A estrada começa em Lauro Muller e termina em Bom Jardim da Serra, onde está o mirante principal que eu citei ali em cima.

ITYK7883
Estrada da Serra do Rio do Rastro

Mas antes de parar no Mirante da Serra do Rio do Rastro, viramos pro lado oposto e fomos visitar um lugar que já estava na minha listinha faz tempo: O Canion da Ronda e o Parque Eólico.

QOAG0990
Canion da Ronda

Sou apaixonada, fascinada, obcecada (ou aloca) por cânions, mas eles são de difícil acesso e quase impossíveis de ir com crianças. Então ter a oportunidade de visitar um e levar a Helena comigo, fez com que o Canion da Ronda se tornasse minha prioridade nesse passeio. O Canion está dentro de uma propriedade privada e você precisa pagar uma taxa de R$10 para entrar (somente em dinheiro –  crianças não pagam). O acesso se dá por uma escadaria e depois uma caminhada relativamente curta, até a beira. O lugar é tão imenso que tem chão até você não enxergar mais.

SYAX1543
Acesso ao Canion da Ronda

 

IQNZ8888


Como qualquer lugar com altitude, os ventos são fortíssimos, a ponto de você ter dificuldade de segurar o celular ou a câmera pra tirar uma foto. A Helena precisou andar de mãos dadas com a gente o tempo todo, porque ela literalmente caiu no chão com a força do vento quando quis andar sozinha. Então além de proteger bem as crianças do frio e do vento, é preciso ter atenção redobrada com elas, pois não há nenhuma barreira de proteção e como o nome já diz, é um cânion, você está andando e de repente tem um grande penhasco de 1.457 metros de altura. Pra quem tem sling, acredito que não exista forma mais segura de levar os babys e os manter quentinhos e protegidos. Mas tudo isso é mais que compensando com uma das vistas mais lindas de Santa Catarina, JURO! Ficamos lá um tempão só admirando a paisagem.

IMG_5037

Voltando pra estrada principal, um pouquinho mais a frente, fica o mirante que te dá uma vista dos canions e da estrada da Serra do Rio do Rastro completa. Como na serra tem muita neblina e serração, dizem que o melhor horário pra ter visibilidade total é entre 11h e 13h. Saímos de lá exatamente nesse horário e seguimos na estrada em direção a outro ponto bem conhecido, a Cascata da Barrinha. O lugar é bem bonito e o acesso se dá pela lateral da Churrascaria Cascata, que por ser um dos únicos restaurantes da região e ter uma vista estratégica pra cascata, acaba sendo a opção mais procurada e certeira pra fazer uma parada pro almoço.

SLHE1093
Cascata da Barrinha


Saindo de lá, colocamos o pé no acelerador e fomos direto pra Urubici pois queríamos subir o Morro da Igreja e pra isso, precisávamos pegar a autorização no centro da cidade (a autorização só é válida pro dia da retirada e a sede da ICMBIO só funciona até as 17h). Como a procura é muito grande nesta época, o período de permanência no Morro da Igreja é de 15 minutos e você só pode subir depois que outro veículo desça. Pegamos uma fila de 7 carros e ficamos uns 25 minutos esperando.

A vista de lá fala por si só e se você tiver sorte ( que não é o nosso caso ) você poderá ver a Pedra Furada, outro ponto bem conhecido mas que está com o acesso temporariamente fechado por conta de obras.

Depois de ver o ponto turístico mais conhecido de Urubici, era hora de ir pra última parada do nosso roteiro, a Serra do Corvo Branco. O atrativo é que a estrada se encontra entre o maior corte em rocha do Brasil, são 90 metros de profundidade. O local estava bem cheio e pra minha surpresa, tinha até foodtrucks servindo lanches e café. Nesse ponto a Helena já estava em sono profundo dentro do carro, então descemos só pra ver o pôr do sol e sentir a energia desse lugar lindo.

IMG_5074
Serra do Corvo Branco


Hora de ir embora, porque além de escurecer cedo, não existe postes com iluminação nesse ponto e a neblina torna as estradas ainda mais perigosas. Você pode fazer o retorno e voltar pelo centro de Urubici ou aproveitar e descer a Serra do Corvo Branco todinha até chegar em Grão Pará. Caso já esteja tarde, recomendo voltar pelo centro de Urubici, parar pra comer algo por lá e aí pegar a estrada novamente. Um dos lugares que gostamos muito de comer, é no Café Colonial Lenha no Fogo, eles tem várias opções de tortas, pratos típicos da região, queijos, chocolate quente e muitas geléias caseiras, tudo a um preço acessível e crianças não pagam! Mas talvez mudem de ideia depois de terem visto a Helena comer.. sorry! hahahaha Caso você ainda tenha pelo menos 1h até o pôr do sol, vale a pena estender a volta pra casa descendo pela Serra do Corvo Branco. A estrada é linda e te dá uma vista panorâmica surreal dos Canions de Urubici.

 

TYLX2813
Vista do final da Serra do Corvo Branco

Nesse dia, já estava escuro e a neblina já estava surgindo mas queríamos muito descer essa estrada, então decidimos de última hora dormir no carro dentro de um camping e seguir viagem no dia seguinte pela manhã. Mas essa é uma história que vale a pena deixar pra contar em um outro momento, em post diferente.

E assim termina o nosso roteiro de 1 dia na Serra Catarinense! Urubici está cheio de atrações lindíssimas mas não tem como visitar todas em um único dia, fato. Coloquei aqui o roteiro que nós fizemos e sim, teria vários outros lugares pra indicar e farei isso num próximo post. Mas se  você está procurando um passeio bate-volta pelos lugares mais bonitos da região, com toda certeza esse roteiro não vai te decepcionar!

Espero que gostem e se fizerem o passeio, não deixem de nos contar o que acharam por aqui ou lá no @familiaaventureira

Beijão!
Cris

Vila Encantada

Quando fui dar uma pesquisada sobre Pomerode pra montar um roteiro além da Osterfest (que contei aqui), descobri esse lugar e de cara ele se tornou parada obrigatória pra gente. Sempre estamos atrás de opções educativas pra ela e o Vila Encantada é muito mais do que isso.

IMG_0413.JPG

O parque é dividido em várias vilas, visando diferentes fases do desenvolvimento das crianças e que tem como tema central: O Mundo na época dos Dinossauros. Por todo o parque, estão espalhadas várias estátuas de diferentes espécies de dinossauros e é possível fazer visitas guiadas onde é explicado sobre cada espécie e seus costumes. Existe uma área chamada Vila do Paleontólogo, em que uma caixa de areia simula um sitio de escavação e os pequenos podem cavar até encontrar alguns ossos. Além disso, o parque conta com a Vila da Aventura, que se assemelha a aqueles brinquedos de parquinhos, com rampas, pontes, casinhas, tuneis e escorredores.. mas em uma versão enorme, a quase 15 metros de altura. São 5 torres interligadas por pontes suspensas, tuneis e vários obstáculos, que visam estimular o desenvolvimento motor das crianças e dando total liberdade pra que o mesmo escolha por onde ir, já que existe várias entradas e saídas. Tudo extremamente seguro e no meio das árvores. Nem preciso dizer que esse é o atrativo mais disputado do lugar, né?

IMG_0730.JPG

IMG_0731

ACS_0041

E o melhor? O brinquedo também é para adultos e os papais são super incentivados a ir brincar junto com os filhos.  Tem pais que não gostam, alguns não se importam.. mas sempre que a Helena vai em algum brinquedo e ela precisa ir sozinha ou quando somente um de nós pode ir com ela, a gente fica com aquela cara de cachorro pidão, porque realmente gostamos de brincar juntos! Então foi uma ótima surpresa quando entramos no parque e vimos que poderíamos subir com ela.

ACS_0035

 

Lá, ela (e a gente) gastou o restinho de energia que ainda tinha e subiu e desceu do brinquedo mais vezes que consigo lembrar! Chegou uma hora que nos sentamos num banco embaixo do brinquedo e só ficamos observando ela. Em volta de todos os brinquedos existem vários bancos pra quem quiser ficar pelo chão, além de um café no ladinho, com uma vista ampla pra quem quer acompanhar os filhos de longe e bater papo.


Por último, há uma casa dentro da vila em que cada cômodo é um espaço destinado ao desenvolvimento visual e motor dos pequenos, além de um espaço somente para os bebês.. com piscina de bolinhas, escorregador, painéis com luzes e sons e uma lojinha super fofa com absolutamente TUDO que você imaginar com a temática de Dinossauros e muitos livros e materiais educativos.


Quem estiver passando por Pomerode com a família não pode deixar de levar os pequenos pra conhecer e se divertir nesse lugar super legal.

Pra saber mais sobre o primeiro parque educativo de Santa Catarina, é só entrar aqui:
Vila Encantada

,

Osterfest – Pomerode

No primeiro dia do mês, começou a 10ª edição da Osterfest, a tradicional festa da Páscoa que acontece em Pomerode. Já tínhamos ouvido falar sobre a festa e queríamos muito ir esse ano. Nossa ideia era ir pra Osterfest mas também conhecer a cidade, que ainda não conhecíamos. Mas como até comentei lá no ig, esse ano está voando e quando percebemos e era véspera da festa e estávamos sem reservas e sem roteiro montado. Então resolvemos fazer uma viagem bate volta, apenas pra curtir a festa e visitar alguns pontos turísticos ao redor do evento.

Assim que chegamos em Pomerode já ficamos apaixonados pelo lugar. Que cidadezinha mais linda! Várias casinhas no estilo enxaimel, um estilo de construção típico das cidades de colonização alemã com jardins super bem cuidados e inúmeras árvores repletas de casquinhas do ovo em comemoração da Páscoa. A cidade é conhecida por ter a maior concentração de casas nesse estilo e também por ser a cidade mais alemã do Brasil. Minha descendência é alemã, então fiquei muito feliz em poder mostrar pra Helena um pouquinho mais da cultura da nossa família e dos seus antepassados.

ACS_0063

Chegamos no Centro Cultural de Pomerode em torno do meio dia e pra nossa surpresa, estava muito tranquilo! Depois ficamos sabendo que o primeiro final de semana do evento é sempre o melhor pra quem não curte aquela muvuca toda (demos sorte! Como o sol estava muito forte e estava fazendo muito calor, olhamos o mapa das atrações e fomos direto achar um lugar pra comer. O evento conta com vários quiosques dos melhores restaurantes da região, mas optamos por ir em um restaurante fora do evento pra encontrar opções de acordo as restrições da Helena. Almoçamos no Bierwein, um restaurante novo ao lado da fábrica da Cervejaria Schornstein, que tinha um buffet livre cheio de saladas e que não cobra o consumo pra crianças abaixo de 5 anos. A Helena ficou super feliz só nas saladinhas e eu e o Henrique aproveitamos pra comer um dos pratos mais tradicionais de lá, o marreco recheado com chucrute.

ACS_0039.JPG

Retornamos pro evento e fomos conhecer a Osterbaum, a famosa árvore que já entrou pro Guiness Book como a maior árvore de casquinhas de ovos naturais. Esse ano a árvore conta com 100 mil casquinhas, todas doadas e pintadas a mão pela própria comunidade. Em torno da árvore, várias casinhas tipo casinhas de boneca e ao lado, uma vila de casinha que fazem um corredor de entrada pro evento. A Helena amou e foi batendo de porta em porta pra ver se os coelhinhos estavam em casa hahaha Algumas das casinhas estavam abertas para as crianças brincarem e a Helena ficou um bom tempo lá, maravilhada! Inclusive até achou uma vassourinha e ficou limpando o lugar (mais minha filha impossível).

ACS_0055

Depois passamos por um stand de livros educativos, cheio de livros incríveis e o mais legal é que adquirindo um livro, você ganha um ingresso pro Vila Encantada, um parque educativo que fica próximo ao Centro Cultural e que vou falar mais a respeito num próximo post porque tem muito pra falar sobre ele. Ao lado, há um stand de pintura facial, outro de pintura de casquinhas de ovos e uma fazendinha com passeio de pônei para os pequenos.

Do outro lado, há várias lojinhas com itens de páscoa a venda, como casquinhas de ovos, coelhinhos, itens de decoração e bolachinhas decoradas. Além de uma lojinha super fofa de chocolates da Nugali (que não entramos pra não deixar a Helena na vontade)

Já na praça de alimentação, como eu disse lá em cima, estão espalhados vários quiosques dos restaurantes mais conhecidos de Pomerode. Aproveitamos o cansaço da Helena pra provar um pouco mais da culinária tradicional e pedimos a Bratwurst (uma salsicha alemã) no quiosque do Wunderwald, um restaurante típico colonial, enquanto ela descansava e ouvia a banda.

Depois seguimos pro Vila Encantada, pra conhecer o Parque dos Dinossauros e eu vou falar mais sobre ele outro dia.
ACS_0037.JPG

Saindo do Parque fizemos um passeio de Kutsche, os antigos de carros de mola que eram usados como táxi, pelo centro da cidade e vimos alguns dos pontos turísticos.

ACS_0054.JPG

Fiquei impressionada com a estrutura e organização do evento. Todo o local tem rampas de acesso e ampla mobilidade para cadeirantes e carrinhos de bebê. Os banheiros são super limpos e possuem fraldário pros pequenos. A rua que dá acesso ao local fica fechada para os pedestres no horário do evento. Tem estacionamento de sobra e muita segurança. Também nunca vi tantas famílias e tantos bebês fofos num lugar só! Com certeza esse é o tipo de evento perfeito pra curtir em família.

Retornando do passeio, o Henrique resolveu participar da brincadeira de tiro ao alvo, que premia quem acerta a maior pontuação do alvo com um refri ou chopp. Ele estava determinado a ganhar e não é que conseguiu?

Nisso o dia chegou ao fim, assim como as energias da Helena e resolvemos ir embora. Mas antes, passamos pelo restaurante Wunderwald pra conhecer um pouco mais dos pratos típicos além dos que estavam servindo no evento. Que lugar maravilhoso!

O restaurante é uma casa de enxaimel de 1892, toda decorada com objetos antigos característicos da época colonial, com quadros e bandeiras da Pomerânia, em referência aos imigrantes pomeranos que colonizaram a cidade. O espaço tem uma área kids enorme e super fofa que com toda certeza deve ser uma mão na roda pros pais.

ACS_0023

A Helena já havia jantado no carro e estava com muito sono, então eles fizeram uma caminha pra ela do lado da nossa mesa, pra que ela pudesse dormir e a gente pudesse jantar tranquilamente. Pedimos uma porção de Bratwurst e um prato chamado Spätzle, uma massa típica alemã criada na região da Suábia e que hoje é super popular no mundo todo por ser uma massa super simples pra fazer em casa. De sobremesa pedimos o sorvete frito, que já fazia muito tempo que queria provar e amei! E também o sagu de vinho, uma das minhas sobremesas preferidas.

Aproveitamos pra conversar com os garçons que foram super gentis e nos deram várias dicas legais pra quando voltarmos. Eu já tinha feito uma pesquisa e separado algumas coisas que queria fazer por lá mas como fomos com o foco na festa, vamos nos programar pra voltar lá com um roteiro diferente e com mais tempo pra conhecer esse pedacinho da Alemanha.

A Osterfest vai até o dia 1/04 e acontece de quinta a domingo. A entrada é gratuita mas algumas atividades são pagas. Todos os estabelecimentos aceitam cartão.

Pra mais informações sobre a festa e sobre a cidade, só clicar aqui.